Uma resposta bíblica à doença mental

Uma resposta bíblica à doença mental

0 13

Do pânico à depressão profunda, muitas pessoas sofrem com as mais variadas doenças mentais. Segundo todas as estatísticas atuais, é muito provável que você conheça alguém que está sofrendo com uma doença mental. Mas qual deve ser a resposta do cristão à doença mental?

Não existem respostas fáceis na Bíblia. Uma doença mental pode ter várias causas e a solução nem sempre é simples nem rápida. Mas Jesus oferece esperança! Qualquer que seja a origem do problema, existem algumas atitudes essenciais que você pode tomar como cristão para ajudar alguém com uma doença mental…

1. Amar em primeiro lugar

Façam tudo com amor. 1 Coríntios 16:14

Em meio a tanto debate sobre doenças mentais (se são reais, de onde vêm, como tratar…), é muito fácil esquecer do mais importante: o amor! Independentemente de sua posição sobre o assunto, você é chamado para amar a pessoa com uma doença mental.

A Bíblia diz que, sem amor, nada que você faz tem valor. Se você quer ajudar, ame. Amar é uma atitude. Significa lembrar que a pessoa sofrendo de doença mental é criada à imagem e semelhança de Deus, tal como você. E, tal como você, precisa do amor de Deus (que você, como cristão, deve refletir).

Um grande problema associado à doença mental é o medo. Quando as pessoas não entendem o que se passa, afastam-se com medo de quem tem uma doença mental. Mas o amor afasta o medo e ajuda a compreender a situação do outro.

Veja aqui o que significa amar.

2. Julgar não ajuda

Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não pôr pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão. Romanos 14:13

A sério, julgar não ajuda! É muito fácil condenar alguém quando não entendemos a situação. Ter depressão é muito diferente de sentir tristeza ou ter falta de motivação de vez em quando. E a solução que ajudou uma pessoa poderá não ajudar outra (isso acontece até com doenças físicas).

Condenar somente piora a situação. A condenação põe uma pedra de tropeço no caminho da pessoa, que, se não for curada quando se arrepende, sente que foi abandonada por Deus e que nunca será curada. Isso é mentira e pode destruir a vida de pessoa!

Em vez de julgar, ofereça esperança. Mesmo se você não souber como ajudar, oferecer um ombro (e um ouvido) amigo pode fazer toda a diferença!

3. Segurança para admitir fraqueza

Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos. 1 Tessalonicenses 5:14

Muitas pessoas sofrem sozinhas com doenças mentais porque têm medo da reação de outras pessoas. Quando vêm outra pessoa com uma doença mental sendo condenada, maltratada, ignorada, abandonada… isso aumenta o medo.

Mas a Igreja deve ser um lugar onde podemos admitir nossas fraquezas e encontrar apoio. O cristão verdadeiro não maltrata nem despreza. Ele ajuda, conforta e é paciente.

Tudo começa com você, com sua atitude. Não espere que outros façam alguma coisa. Faça você a diferença e ensine outros a fazerem o mesmo. Crie um ambiente de segurança e amor, onde as pessoas podem admitir suas fraquezas sem serem condenadas nem desprezadas. Acredite, isso muda vidas.

Ame seus irmãos com doenças mentais!

SIMILAR ARTICLES

NO COMMENTS

Leave a Reply