Colunas

0 30

Às vezes, é difícil ser humano. Viver sem a certeza do que acontecerá amanhã e caminhar em meio a muitas dúvidas é sempre um desafio que apenas gente um pouquinho mais adulta consegue encarar. Você, que ainda não encontrou o seu amor, pode estar pensando: “acho que isso nunca vai acontecer comigo!”. Pois é. Você pode até “achar” isso, mas isso não é uma certeza.

A questão principal não é se alguém aparecerá no seu caminho; a questão principal é saber se o seu coração está preparado para tal acontecimento.

Se não temos o controle do nosso futuro, precisamos ajustar o nosso senso de prioridade, os nossos valores pessoais e a nossa motivação para tudo o que fazemos e com quem nos encontramos, pois é num desses encontros que Deus pode nos colocar diante do inesperado que poderá ser o que esperávamos há anos e não nos dávamos conta!

Olha, eu creio piamente na Providência absoluta de Deus. Creio que Ele está no controle de nossas vidas, e até mesmo sabe dos nossos dias de fraqueza emocional e fracasso espiritual. Deus vive cada dia conosco e muitas vezes deve reagir de um modo bem humorado a muitas de nossas reclamações, simplesmente por saber que nós não sabemos do que Ele já sabe que vai acontecer logo ali.

Creio também que Deus usa todos os meios possíveis e imagináveis para nos mostrar a direção de Sua vontade.

Sugiro que prepare o seu coração para o “dia seguinte”. Se vista bem, se cuide em todos os sentidos e procure aumentar a sua comunhão com esse Deus inigualável, pois algo pode estar vindo na sua direção – ou melhor, alguém – e isso pode ser a santa Providência dele em sua vida.

Não tenho uma convicção de que Deus nos controla como marionetes, mas tenho a firme convicção de que os nossos dias estão todos estabelecidos por Ele – pois isso comunga com um dos seus gloriosos atributos que é a “Soberania”.

Portanto, tenha paz em Deus para que, em breve, o seu coração seja entregue a quem Ele tem preparado para te encontrar! Tenha esta segurança no Pai Celestial e permaneça encontrando o amor maior que é Ele mesmo; pois, certamente, a pessoa que O ama acima de tudo e todos, por Ele é amada o suficiente para que dele receba um presente, que nada nem ninguém poderá lhe arrebatar.

Fique atento(a), pois o amor é súbito.

 

 

Maycson Rodrigues

Maycson Rodrigues

30 anos, é casado com Ana Talita, estudante de Teologia Reformada e estuda Filosofia na UFRJ. É compositor, escritor e músico e trabalha no ministério paraeclesiástico e missionário chamado Entre Jovens. Recentemente publicou um livro intitulado “Aos maridos: princípios do casamento para quem deseja ouvir”.

0 31

Após 500 anos de reforma, o que mudou?

Em Outubro deste ano faremos 500 anos da “Reforma Protestante” Reforma esta iniciada por Martinho Lutero em 31 de outubro de 1517, que pregou 95 teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg.

O documento desafiava diversos pontos da doutrina da Igreja Católica Romana, propondo uma reforma no catolicismo romano. Ficamos a pensar, após 500 anos o que mudou nas igrejas protestantes? Será que o termo protestante se aplica nos dias atuais? Bem pelo contrário não vemos mais essa nomenclatura ‘Protestante’ sendo usada como outrora. É possível que tenha ainda alguns remanescentes oriundos da reforma em nossos dias. Seja um crente Reformado: Examine sua Bíblia

Solus Christus????

O que estamos vendo, principalmente em nosso País em relação a igreja evangélica – me refiro a grande maioria e principalmente as “igrejas Neo-Pentecostais” e as milhares de igrejas pentecostais – é que cada vez mais diminuem as diferenças das práticas outrora do catolicismo romano. Hoje não podemos mais falar da idolatria católica romana, pois temos objetos sagrados e venerados nas diversas denominações. Para essas denominações JESUS não é mais suficiente Salvador, ou seja, Ele perdeu totalmente a suficiência. O que vai te abençoar hoje é: O sal grosso, a arruda, a meia ungida, a tolha suada do tal Após-tôlo, a água benta, a arca da aliança, o shofar, a chave, o tijolo, a caneta e tantos outros milhões de objetos que não caberiam nessa página.

Outro Evangelho

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho. Gálatas 1:6

Os que deveriam manter-se firme na Palavra e no Evangelho de Cristo, protestando contra heresias e doutrinas do diabo, tem praticado, envergonhado os verdadeiros cristãos protestantes. Práticas bizarras se espalham cada vez mais dentro dessas instituições ditas evangélicas. O que eles fazem superam o Catolicismo Romano do século XV.

Igrejas viraram empresas, os membros mercadorias e pastores investidores

Hoje é descarado o comércio da fé dentro dessas “igrejas”. Impossível ouvir, acompanhar um sermão deles sem que eles não falem em Lucros, Chantagens, Ameaças e muito dinheiro. Tudo gira em torno de lucros: quem muito oferta, muito recebe, quanto maior for o “sacrifício” dos ‘fieis’ ($), maior são as bençãos conquistadas por eles. Segundo os falsos após-tôlos, os falsos profetas, falsos bispos, falsas ‘pastoras’, o tema principal é: Doem tudo, digo, tudo o que você tem para que sejam prósperos.

Vergonha alheia

Eu tenho vergonha desses vendilhões. Eu tenho vergonha do que vejo todos os dias na TV ao que se refere as práticas desses líderes em suas igrejas. Modismo, amuletos, práticas espiritas, símbolos judaicos, falsos testemunhos, Curas fabricadas, tudo em torno da denominação. Partidarismo puro. Quanto maior o marketing, maior o números de fieis que virão fazer parte.

Temos hoje na Tv aberta um show de quem cura mais, quem realiza mais “Milagres”. Super-Heróis, que pregam outro evangelho, arrastam multidões e chegam a dizer: Se esta obra não é de DEUS porque cresce tanto? Mas os verdadeiros são poucos.

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8

Milhares são enganados pela cobiça de serem “Abençoados, Prósperos e Ricos”.

Porque são enganados??

Não examinam nas Escrituras, aliás nem conhecem o livro que carregam debaixo de seus braços. Erram por falta de conhecimento. Fazem conforme ditam os tais falsos “Após-tôlos”.

Eis que o meu povo está sendo arruinado porque lhe falta conhecimento da Palavra. Oséias 4:6

E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade;
também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.. 2 Pedro 2:2-3

Louvado seja DEUS que diante esse quadro caótico da igreja Brasileira existe algumas igrejas tradicionais Como: Presbiteriana, Congregacional, Batistas, Luterana e outras no meio pentecostal. Algumas raridades das Assembleias de Deus e pouquíssimas igrejas que não abrem mão das escrituras e tem clamado por uma REFORMA na igreja Brasileira.

Onde estão os cristãos protestantes???? Se você é um protestante não se conforme no que tem acontecido. Fale, proteste, se preciso for, denuncie.

Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, Sola Fide, Soli Deo Gloria

 

 

Sou Cristão evangélico, Presbítero da Igreja Congregacional em Alcântara São Gonçalo RJ, Blogueiro ,[Mensagem Edificante para Alma] Servo por misericórdia, Salvo pela Graça.

0 30

STF: Cristianismo é mais forte do que pensávamos!

Não se tem dúvida que a base da moral e da religião em todo o mundo ocidental é o cristianismo. Mais ainda, o cristianismo tem provado aos quatro cantos do planeta que seu fundamento baseado na convivência harmoniosa, plural, conciliatória, entre outros atributos ou predicados, tem servido para uma cultura ocidental que se alastra já desde tempos. Seja como for, o cristianismo fundamenta tanto a religião quanto a cultura do ocidente. Posso até afirmar, sem medo do politicamente correto e da repressão, que o cristianismo é a base superior de uma convivência pacífica entre os indivíduos. É, de fato, uma cultura superior. Não ouso dizer que é uma cultura superior.

Para quem ainda não tomou conhecimento, foi julgado semana passada que as escolas públicas brasileiras podem ter ensino religioso confessional. Isso foi discutido num processo que correu no Supremo Tribunal Federal. Os ministros decidiram que o ensino religioso brasileiro, em escolas públicas, pode ser dedicado para além do conhecimento. Podem ser ministradas aulas de confissão religiosa. A matrícula continua sendo facultativa. Isso porque a Constituição Federal assim o determina. Em conclusão, o que o Supremo Tribunal Federal decidiu foi manter o que a Constituição Federal já traz escrito em seu texto.

Tal decisão choca a modernidade como um todo. Choca aqueles que lutam contra o preconceito religioso. Choca também o politicamente correto, ou seja, aqueles que se dizem neutros. Dizem-se sem opiniões formadas, os que, para não se sentirem prejudicados ou por receio de olhares de desconfiança do alheio, mostram-se em cima do muro.

Por questão de lógica que todos querem uma sociedade sem preconceitos, não é mesmo? É o desejo de todo ser humano que as pessoas sejam tratadas de forma isonômica, sem discriminações. Por isso que a modernidade vê que tal decisão é discriminatória, por entender que ela privilegiou o cristianismo. Dizem que o cristianismo é a religião de costume do ensino brasileiro, não havendo lugar para outras nas escolas públicas e também na cultura.

Por mais que isso possa parecer um pouco verdadeiro, não é bem assim que as coisas acontecem e existem razões mais, digamos, profundas do que esse arremedo sociológico de conclusão apressada de quem está quase perdendo o bonde de volta para casa, depois de um dia de trabalho entediado (pois, creio, é assim que a modernidade vê a vida passar, sem razão aparente para uma existência mais séria do que o material).

Ora, o que o Supremo Tribunal Federal decidiu, e com base na Constituição Federal, valendo repetir, é que o ensino de religião de forma confessional, além de facultativo, não é direcionado para qualquer religião especificamente. Então, um primeiro ponto, é que não é só cristianismo que pode ser ministrado. Outras religiões também. Ponto para o pluralismo, ao contrário do que ainda relutam em admitir os que foram avessos à decisão do tribunal. Um segundo ponto, e aqui é o mais importante, é que tal decisão se afigura mais uma defesa do cristianismo do que um ataque seu. Isso merece ser melhor explicado.

É sabido por todos os quatro cantos do mundo que o cristianismo vem sendo atacado de morte. Querem banir, excluir, eliminar o cristianismo de nossa cultura e da religião; enfim, do próprio pensamento ocidental como um todo. Essa eliminação não é por outro motivo senão para deixar em seu lugar algo pernicioso, nocivo, mortífero mesmo. Deixar em seu lugar algo que já está sendo ministrado em sala de aula, em cursos de faculdade, nas telinhas da Globo, nos jornais impressos, nas mídias sociais. Enfim, na mídia em geral. A cultura que está sendo impregnada, inclusive em nossas crianças, é do tipo libertina. Querem fazer do ser humano um mero objeto antinatural de viver, sem freios morais, sem responsabilidades, do tipo hedonista, desprezando a Lei do Certo e do Errado, nossa lei da natureza humana.

Buscando na filosofia moral de tempos passados, o cristianismo foi um dos precursores de nossa lei moral. Ocorre que pensadores que vieram tanto antes quanto depois de Cristo começaram a manipular a mente humana em favor do ceticismo, para não acreditarmos em mais nada, nem no ar que respiramos, nem na própria vida que temos. O pai do ceticismo foi Pirro, filósofo máximo do descrédito. Nietzsche chegou a proclamar a morte de Deus, para sua tentativa de cultura para além do bem e do mal. Enfim, outros seguiram nessa caminhada diabólica, que culminou hoje com o que temos de mais covarde e hediondo (lembrando a exposição Queermuseu, do Banco Santander, apenas para ilustrar). O que se pretende hoje é eliminar o cristianismo como nosso freio moral e a figura de Jesus como modelo de homem a ser seguido.

Se não fosse permitida a continuação do ensino confessional em escolas públicas, como vem ocorrendo na realidade brasileira, seria o mesmo que autorizar a diluição do cristianismo em vários segmentos pseudo-religiosos ou culturais que mais se assemelham ao anticristo. Por isso que sempre digo que a diversidade religiosa não é problema. O problema é a diversidade com a exclusão do cristianismo. Um imaginário totalitário nunca olha para o outro, sempre enxergando somente a si mesmo e à sua própria realidade.

Sérgio Renato de Mello

Defensor Público do Estado de Santa Catarina.

0 64

por Maycson Rodrigues

Nos dias atuais, o que há de mais escasso na comunidade da fé é uma palavrinha chamada “equilíbrio”. Equilíbrio para se ter fé sem abandonar a razão; para buscar a unção do alto sem abandonar a teologia bíblica; para cuidar do pobre sem negligenciar na vocação para a proclamação do evangelho e, na questão do caráter pessoal, saber ouvir uma informação sem tecer um juízo de valor apressado e orgulhoso.

Recentemente, soubemos de escândalos e também de acontecimentos positivos que envolveram de alguma forma a fé cristã. Justin Bieber disse que está reaprendendo a viver com Cristo.

Wesley Safadão foi clicado professando fé em Jesus e descendo as águas batismaisJim Carrey foi filmado testemunhando da sua dor pela depressão e de sua esperança em Cristo para sair dela e, infelizmente, Daniela Araújo foi uma vítima e, ao mesmo tempo, culpada pelo pecado.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Vítima porque todo pecador de alguma forma é sequestrado de si pelo mal que lhe habita; culpada porque todo pecador é responsável por seus atos diante de Deus e, por isso mesmo, precisa abandonar no caminho toda a cobiça, a idolatria, o orgulho ou toda e qualquer coisa que roube o seu coração da primazia do Senhor.

Onde está o tesouro do homem, ali está o seu coração; logo, se o nosso tesouro não está em Deus e sim em nós mesmos, somos réus no trono celestial e precisamos de salvação por meio do Cristo que é o mediador do que crê e nele confia.

Tivemos de lidar com notícias sobre as decisões de famosos por Cristo – ou não. Eu, particularmente, não me empolguei com nada que li e fiquei sabendo pelo simples fato de que não posso sondar toda a intenção do coração humano, nem mesmo me escandalizar com o pecado alheio, uma vez que eu tenho os meus (e estes ainda permanecem ocultados da grande nuvem de religiosos).

No entanto, tive de refletir sobre tal fenômeno, considerando a abrangência de suas repercussões no seio cristão, sem contar o quanto rendeu de discussão entre os nossos irmãos, acerca daquilo que está de acordo ou do que pode estar fugindo da legitimidade bíblica, bem como da verdadeira representatividade cristã no contexto público.

Tecer comentários sobre a decisão alheia por Cristo é uma das tarefas exaustivas da sociedade as quais não tenho o menor desejo de participar.

O simples fato de abordar a subjetividade do outro e determinar com meia dúzia de palavras acerca de quem ele possa ser na minha opinião, é algo que cansa mais do que me excluir da visibilidade coletiva (seja virtual, seja real) para elencar as mazelas que me impedem de servir com mais amor a Jesus Cristo.

O que quero ponderar é que, muitas vezes, devido à falta de equilíbrio em nosso cristianismo, projetamos no nosso próximo o fracasso que vivenciamos no dia-a-dia. Contudo, o Espírito Santo tem uma obra gloriosa de santificação a realizar em nosso interior, de modo que não temos (ou não deveríamos achar que temos) tempo para nos ocupar com o que houve de fato com este ou aquele famoso. É simplesmente loucura.

O conselho de um fariseu pode nos auxiliar, por incrível que pareça – até porque achamos que a palavra fariseu significa necessariamente um opositor de Jesus quando, ao pensarmos assim, deixamos passar o fato de que Nicodemos procurou estar junto a Cristo mesmo após a sua morte (Jo 19.39) e que, o último e o maior dos apóstolos (Paulo), era um fariseu (Fp 3.5).

Gamaliel, um fariseu renomado e reconhecido por todo o povo, ao vir o conselho da religião ou dos religiosos (que naquela época também era um conselho de força jurídica e política) se enfurecendo com a ousadia de Pedro e dos demais apóstolos de apregoar o evangelho de Jesus, se levantou no meio do grupo e os alertou acerca de algo que pode se aplicar ao nosso contexto atual: é necessário cautela para se ponderar sobre os frutos do outro, mesmo que ele seja muito famoso.

Gamaliel também considerou outros movimentos semelhantes ao do cristianismo que, no fim, sucumbiram orgânica e naturalmente, e suas palavras nos mostram uma alternativa reflexiva importante para todo aquele que, de quando em vez, se depara com a notícia do batismo de alguém conhecido, ou de um testemunho público de outro renomado acerca da sua fé em Jesus.

Ele disse: “(…) deixai-os, porque se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, mas, SE É DE DEUS, NÃO PODEREIS DESFAZE-LA; para que não aconteça serdes achados combatendo contra Deus”. Não nos cabe gastar tantos caracteres com o que um famoso está demonstrando publicamente sobre sua relação com Cristo; basta que o tempo siga o seu curso e, aquilo que DEUS está fazendo, permanecerá.

Um cristão não é apenas aquele que crê, mas também é o que permanece crendo. Não apenas se arrepende quando entrega a sua vida a Cristo, mas continua se arrependendo todos os dias, pois todos os dias ele sabe que erra bastante.

Um cristão é mais do que aquilo que alguém possa ver de sua exterioridade, e é por isso que nos cabe apenas apoiar aqueles que estão se achegando ao Reino de Deus, como também orar por aqueles que, de alguma forma, estão sendo paralisados pelo pecado.

A igreja precisa usar de misericórdia com aqueles que erram, e praticar a graça que celebra a vitória do outro que não teme que se torne do conhecimento de todos a notícia de sua decisão por Deus.

Seremos um povo mais relevante na sociedade se praticarmos o equilíbrio analítico de Gamaliel. O que Deus faz no ser humano que se entrega a Ele, seja este ser humano um desconhecido ou um astro mundial, não pode ser desfeito por homens, mesmo aquele que se acha o porteiro do céu.

A verdade é que Deus está em missão e que os seus filhos precisam avançar com Ele. Tem muitos mais “Biebers” e “Safadões” para se alcançar, pois o Cristo vivo tem chamado pela pregação todo o tipo de gente, de todo lugar.

Maycson Rodrigues

Maycson Rodrigues

30 anos, é casado com Ana Talita, estudante de Teologia Reformada e estuda Filosofia na UFRJ. É compositor, escritor e músico e trabalha no ministério paraeclesiástico e missionário chamado Entre Jovens. Recentemente publicou um livro intitulado “Aos maridos: princípios do casamento para quem deseja ouvir”.

0 64
Intelectuais pop do youtube atuam como apóstolos do anticristianismo, sendo a sarça ardente de jovens despersonalizados, sedentos de mais pontinhos nas pranchetas de popularidade.

por Renan Alves da Cruz

A roda dos escarnecedores continua em franca expansão. A cada dia ganha mais agregados e entusiastas. Odiar o cristianismo e tecer críticas raivosas ao patriarcado judaico-cristão conta múltiplos pontos nos prontuários de popularidade.

Os dias correm rápido e o odômetro da Terra prossegue em sua marcha incansável. O fim está perto e o ódio do mundo por aqueles que defendem os princípios bíblicos já é indisfarçável.

As universidades, criadas e sustentadas durante séculos por entidades cristãs, mesmo naquelas que ainda mantém nomenclaturas que remetem ao cristianismo, se engajam na destruição do conservadorismo cristão com ferocidade avassaladora. Qualquer menção aos legados positivos de uma cultura pautada inteiramente por uma ética advinda do cristianismo é rechaçada como anátema. Ser cristão no mundo acadêmico é ser alienígena.


  Programa que ensina a Bíblia vira febre na Internet


Ciro Sanches Zibordi, na obra Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria escreve:

Imagine-se em uma estrada em que todos os veículos estão trafegando na contramão. O que acontecerá se você resolver trafegar na mão certa? Além de ficar com a impressão de que está na direção errada, todos os que de fato estão na contramão pensarão que estão certos!

Exato. Vivemos sob o jugo do impacto opinativo da mídia e dos intelectuais. Suas posições se tornam definitivas, mesmo que partindo de prismas e conceitos imprecisos e, muitas vezes, desonestos intelectualmente. Entretanto, forma-se o exército da maioria e, mesmo que trafeguem na contramão, vindo afrontar-se contra o único que anda na direção certa, este que acaba oprimido e instado a mudar sua direção.

Os cristãos verdadeiros são desprezados pelo mundo. Geralmente os que fazem sucesso nos meios politicamente corretos e progressistas só o fazem porque relativizam a Bíblia em temas impopulares.

Assumir a impopularidade de ser um cristão que não converge com o mundanismo desperta a fúria dos novos guardiões sociais, que o acusarão de extremista dentre tantos outros adjetivos, não se ocupando de ouvir ou refutar seus argumentos, como se a simples acusação de extremismo fosse em si só argumento triunfante.

O dever do cristão é iluminar o mundo através do seu exemplo, suas palavras e sua fidelidade aos princípios que o pautam. O cristão que afrouxa suas posições para ser benquisto num mundo que odeia Cristo é morno.

Intelectuais pop do youtube atuam como apóstolos do anticristianismo, sendo a sarça ardente de jovens despersonalizados, sedentos de mais pontinhos nas pranchetas de popularidade.

Estamos na mão certa. O desvio moral do mundo grita que estamos na contramão e que atrapalhamos o trânsito correto, mas sigamos por este caminho.

Este é o Caminho, a Verdade e a Vida.

ZIBORDI, Ciro Sanchez. Evangelhos que Paulo jamais pregaria, CPAD, p. 164

Renan Alves da Cruz

Renan Alves da Cruz

Renan Alves da Cruz é historiador, professor de Escola Bíblica Dominical e colunista de política e cultura do portal Voltemos à Direita.

Colunas

0 30
por Maycson Rodrigues Às vezes, é difícil ser humano. Viver sem a certeza do que acontecerá amanhã e caminhar em meio a muitas dúvidas é...