Noticias

0 26

Não é só no Brasil que os cristãos conservadores fazem campanhas defendendo as crianças da ideologia de gênero. Pastores evangélicos do Equador estão enfrentando processos jurídicos após reunirem cerca de um milhão e meio de pessoas, em protestos por todo o país em 14 de outubro.

O tema da campanha nacional era #Conmishijosnotemetas, ou #NãoSeMetamComNossosFilhos em tradução livre. Contrariados, ativistas LGBT entraram com um processo, acusando os promotores do movimento de discurso de ódio e homofobia.

Por causa disso, todos os líderes cristãos, ou seus representantes legais, tiveram que comparecer perante o Tribunal de Garantias Criminais da capital Quito. Eles reafirmaram seu apoio à ideia de que, na perspectiva cristã, o casamento só existe quando é entre homem e mulher e que os pais têm o direito de escolher os valores que passarão aos seus filhos.

“A defesa da família não deve ofender ninguém. O respeito deve ser mútuo. Não só do nosso lado, mas de ambos os lados”, disse Stuart Lopez, um dos pastores evangélicos denunciados. Nas marchas realizadas em diversas cidades do Equador, católicos e evangélicos se uniram para defender a família tradicional.

Nenhum dos juízes viu indícios concretos de prejuízo aos homoafetivos equatorianos e encerraram o caso por falta de provas.

A briga judicial começou no dia da marcha, quando um grupo LGTB solicitou medidas cautelares para proibir a manifestação, mas sem sucesso. Contrariados, alguns desses ativistas foram ao local da marcha e começaram a insultar e atacar verbalmente todos os pastores presentes.

A reclamação é que o protesto dos evangélicos criava um ambiente hostil para a existência dos homossexuais. Cayetana Salao, uma das líderes do protesto LGBT, reclamou dos juízes e tentou lançar uma campanha chamada #ElOdioMata, mas que não obteve muita repercussão. Com informações de Protestante Digital e El Comercio

0 19

A violência urbana ceifou a vida do cantor e pastor Netto Paz, 37 anos, na noite da última quarta-feira, 25 de outubro. O artista gospel foi vítima de uma tentativa de assalto em que os bandidos fizeram diversos disparos contra o carro onde Netto Paz estava com a esposa e uma das filhas.

Melchiades Santos Neto foi vocalista da Banda Shalom, onde se tornou amplamente conhecido no Nordeste, e nos últimos anos vinha se dedicando à carreira solo, com foco no forró gospel. O sucesso do artista na região era tamanho que seu trabalho foi reconhecido por uma gravadora multinacional, a Universal Music, com quem mantinha contrato.

De acordo com informações do portal Giro Piauí, Netto Paz e a família trafegavam pela rodovia BA-650, e ao chegarem ao trevo que dá acesso à BR-101, foram abordados por assaltantes, que estavam em um FIAT Strada, com disparos efetuados para intimidação. No entanto, o cantor terminou ferido e eles fugiram, segundo relatos das testemunhas.

Netto Paz chegou a ser socorrido por pessoas que passavam pelo local e levado ao Hospital de Ibirapitanga, mas faleceu em decorrência dos ferimentos. A filha do pastor também teria sido atingida em um dos braços, mas não há maiores informações a respeito de seu estado de saúde.

Nas redes sociais, a equipe que assessora o pastor publicou uma mensagem confirmando sua morte: “Graça e Paz, e uma boa noite a todos! Venho através desse pequeno texto, confirmar a triste notícia do acontecimento com o Pr. Netto. Nesse momento de dor, não temos condições de atender as ligações e nem responder as mensagens. Pedimos a compreensão de todos”.

Netto Paz deixou a esposa e duas filhas, Rayssa e Ester. Com mais de 20 anos de carreira, o cantor tem CDs e DVDs lançados em sua carreira com a Banda Shalom e também como artista solo. A Polícia da Bahia ainda não confirma os detalhes do crime, mas investiga como tentativa de assalto e quem são os bandidos, para descobrir se há outras motivações para o crime.

A marca de cosméticos Avon vem promovendo o documentário Repense o Elogio, em que orienta pais, mães, familiares e amigos em geral a não elogiar meninas como “princesas”. O trailer exibido no canal da empresa no YouTube tem, até agora, 70 mil reprovações, contra apenas três mil curtidas.

Elogiar uma menina como princesa é algo tão intenso na cultura da família brasileira que até o Diante do Trono criou uma canção infantil, chamada Aos Olhos do Pai, se valendo dessa tradição. “Você é linda demais / Perfeita aos olhos do pai / Alguém igual a você não vi jamais / Princesa linda demais / Perfeita aos olhos do pai”, dizem os versões da música cantada em milhões de lares com meninas na fase da infância.

 

A primeira aparição na grande mídia do documentário Repense o Elogio se deu na fatídica reportagem do Fantástico, da TV Globo, em que a ideologia de gênero foi apresentada como “brincadeira de criança”. Na ocasião, a diretora do filme, Estela Renner, criticou quem tem uma filha e a chama de princesa, pois considera uma forma de estabelecer estereótipos.

A Avon é uma empresa de produtos cosméticos populares, e o endosso ao documentário vem sendo reprovado pelos usuários. No entanto, essa não é a primeira vez que a empresa cede à pressão do politicamente correto: em 2012, um grupo de ativistas gays pressionou a marca a remover os livros do pastor Silas Malafaia de seus catálogos de produtos.

Na ocasião, houve inclusive um ponto de tensão entre o pastor Silas Malafaia e os portais cristãos brasileiros, a quem o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo acusou, à época, de estarem a serviço da militância LGBT. No entanto, o Gospel+ havia apurado junto à Avon e recebido a informação de que os livros de Malafaia haviam sido retirados do catálogo por tempo indeterminado.

Agora, a Avon demonstra que a pressão feita pelos ativistas gays há cinco anos teve resultado, já que a empresa além de ter banido livros de um dos principais formadores de opinião evangélicos de seu catálogo, agora abraça a agenda LGBT da ideologia de gênero, apresentada como um pensamento “progressista”.

[ATUALIZAÇÃO 25/10]

A empresa deletou o primeiro vídeo de seu canal, e publicou outro, com o mesmo conteúdo, como forma de driblar as políticas do YouTube para materiais com reprovação alta do público. No primeiro player, abaixo, é possível notar que o vídeo não está disponível, e no segundo, há a republicação do polêmico trailer do documentário Repense o Elogio:

 

“Aos Olhos do Pai”

0 24

O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) recebeu um presente do Grupo Globo em homenagem ao seu aniversário, mas usou a tribuna do Plenário da Câmara dos Deputados na última terça-feira, 17 de outubro, para devolver o mimo, dizendo que a emissora precisava deixar de perseguir a família brasileira.

Feliciano explicou que seu aniversário aconteceu dias atrás: “Eu nasci numa data muito especial, no dia 12 de outubro, que no meu país é comemorado o Dia das Crianças e também o dia de Nossa Senhora. Uma data dupla, que traz alegria para todos os brasileiros, 80% de cristãos”, afirmou.

 

“Na semana passada eu recebi um presente da Rede Globo de Televisão. Pensei que era só para mim, mas outros deputados receberam também. Grupo Globo mandou para o meu gabinete, em homenagem ao meu aniversário, um presente”, explicou o pastor.

Antes de dizer que devolveria o presente, o pastor agradeceu o gesto: “Eu quero aqui em protesto – primeiramente, agradecê-los por terem se lembrado do meu aniversário – devolver esse presente”, disse.

Na sequência, Feliciano disse que a TV Globo poderia presentear a ele deixando de promover a agenda globalista, apresentada como “progressismo”, mas que fere os conceitos conservadores da maioria dos brasileiros.

“Eu queria convidar todos os deputados que são pró-vida, pró-família, deputados que são conservadores, a devolver o presente que eles receberam também. O presente que eu gostaria da Rede Globo é outro. Queria que a Globo respeitasse nossas famílias, nossas crianças, não transformasse o que entra em nossas casas em lixo, esgoto, que usassem sua força midiática para ensinar, construir, e não desconstruir”, afirmou.

0 19

A ideologia de gênero foi adotada como um valor por algumas empresas que atuam no Brasil, fazendo apologia ao conceito que distorce a biologia ao dizer que nenhum ser humano nasce homem ou mulher, mas se torna o que escolher ser a partir das experiências e influências à sua volta.

Essas empresas, que constroem fortunas a partir da comercialização de produtos e serviços, se tornaram alvo de uma maciça campanha de repúdio nas redes sociais, com diversos formadores de opinião – evangélicos, católicos e mesmo outros sem vinculação pública com essas religiões – se manifestando contra.

 

Empresas como o Banco Santander, a TV Globo, a marca de sabão Omo, o hipermercado Carrefour e a empresa fabricante de cosméticos Avon conheceram a determinação do público conservador em rebater as tentativas de erotização infantil.

Confira abaixo o envolvimento de cada uma dessas empresas na apologia à ideologia de gênero, em uma lista que compila a essência de cada polêmica com que as marcas foram envolvidas. A iniciativa é do portal Guia-me:

Santander

A mostra “Queermuseu”, promovida pelo Santander Cultural em Porto Alegre (RS), foi amplamente criticada por causa dos quadros com apologia à ideologia de gênero, pedofilia, zoofilia, vilipêndio à fé cristã e até insinuações de racismo. As frases “criança viada deusa das águas” e “criança viada travesti da lambada”, foram as que mais chamaram atenção do público de forma negativa, o que levou o banco a cancelar a exposição.

0 16

A 114ª Conferência da Rede Mundial de Médicos Cristãos (WCDN), realizada na histórica cidade de São Petersburgo, na Rússia, reuniu centenas de profissionais da área da saúde que relataram e apresentaram casos de curas milagrosas resultantes da oração.

De acordo com informações do portal Charisma News, a conferência se tornou especial por conta das novas leis antiterrorismo aprovadas no país, com medidas que restringem o trabalho de evangelismo desenvolvido por parte dos cristãos protestantes, priorizando a Igreja Ortodoxa Russa.

 

O encontro dos médicos cristãos aconteceu entre os dias 20 e 21 de outubro, organizado pelo ministério WCDN, e contou com a presença de aproximadamente 500 médicos, de países como Coréia do Sul, Israel, Itália, Holanda, Espanha, Bielorrússia e da própria Rússia.

Ao longo dos dias foram realizadas quatro palestras especiais sobre os casos de cura divina, em que seis pacientes que se recuperaram de forma inexplicável tiveram seus casos apresentados.

“É Deus quem cura” foi o título da palestra ministrada pelo Dr. Gilbert Chae, da Coreia do Sul e presidente da WCDN; “Águas doces de Muan”, pelo Dr. David Eu, de Singapura; “Céu” pelo Dr. Vitaliy Fishberg, dos Estados Unidos; e a apresentação do DVD “A Grande Inundação de Noé”.

Com as explicações aprofundadas ao longo das palestras, as pessoas que compareceram ao evento puderam entender a origem das doenças, as questões que tornam autêntica a narrativa da inundação nos tempos de Noé, e outros detalhes a respeito da fé cristã em relação aos milagres, a existência do Reino Espiritual e o céu.

Os casos de cura divina apresentados são relacionados a problemas como artrite, apendicite aguda, tuberculose pulmonar, fraturas complexas, cegueira e estrabismo, que ocorreram após orações.

O caso de cegueira, em particular, chamou atenção porque os médicos foram surpreendidos com a mudança repentina no status da pessoa deficiente visual. Na ocasião, o palestrante lembrou que Jesus curou cegos durante seu ministério.

“As apresentações de casos dos médicos coreanos foram muito inspiradoras, e especialmente o desempenho da equipe coreana foi de muito alta qualidade e espiritualidade”, disse o Dr. Andre Gasiorowski, presidente da Coalizão ‘Helping Hands’ e um dos organizadores da conferência WCDN 2018, que será realizada na Polônia.

0 18

Daniela Araújo pôs fim a um longo silêncio, autoimposto, desde que se tornou o centro de um escândalo com drogas e um comportamento verbalmente violento, e pediu orações por se considerar em um processo de “cura”.

A primeira publicação da cantora após o episódio aconteceu pouco mais de dois meses depois de um áudio ter sido divulgado pelo ex-namorado dela, Victor Romanini, que gravou uma discussão com um rapaz que seria um traficante de drogas e expôs seu vício.

 

No curto texto que acompanhou um vídeo feito na Estância Paraíso, Daniela Araújo diz ter descoberto que estava longe da trilha escolhida por Deus para ela, e que sentiu o amor e a compreensão das pessoas que teriam todas as razões para abandoná-la.

“Ouça o som, veja a luz… nesse lugar reencontrei meu caminho. a minha cura começou quando os que tinham tudo para me condenar, me amaram, me perdoaram e tentaram me compreender”, escreveu a cantora, mostrando o local de retiro onde tem passado os dias.

A Estância Paraíso é um retiro da Igreja Batista da Lagoinha (IBL), que recebe pessoas que precisam de um tempo para meditar, aprender e renovar as forças na caminhada espiritual.

“Confesso que eu vi o mal em algumas palavras, mas na boca dos escolhidos eu vi DEUS me chamando pra algo que, é claro, vou compartilhar com todos que sempre torceram por mim”, acrescentou a cantora.

Agradecendo aos apoiadores, Daniela Araújo salientou que ainda precisa de suporte: “Obrigada a todos os FCs [fãs clubes] pelas correntes de oração, a todos os pastores, líderes, youtubers, blogueiros, cantores, parceiros de trabalho e a todos que me mandam mensagens diariamente. Não tenho palavras para agradecer! Continuem orando! amo vocês!”, concluiu.

0 30

A reação popular contra as iniciativas rotuladas de “arte” com apologia à pedofilia, zoofilia e vilipêndio à fé cristã vem sendo considerada “censura” por parte dos artistas com renome na grande mídia. O casal Paula Lavigne e Caetano Veloso iniciaram um movimento chamado #342Artes, convocando colegas de profissão para barrar a “onda conservadora”.

Uma das primeiras atrizes a se posicionar foi Fernanda Montenegro, que disse que o futuro do Brasil depende da “cultura”, e que os políticos deveriam sair do “silêncio acovardado” para se posicionar junto à classe artística.

 

Paula Lavigne, que é produtora cultural, tem estado no centro das discussões sobre a apologia à pedofilia nos eventos em questão por conta de uma entrevista concedida há 19 anos à revista Playboy, quando revelou que perdeu a virgindade aos 13 anos de idade em uma relação com Caetano Veloso, que à época já tinha 40 anos.

Dessa forma, Lavigne vem defendendo que o contato de uma criança com um homem nu é algo natural e que deve ser incentivado. Na mesma entrevista, a produtora contou que na adolescência usava saias para cobrar dinheiro de meninos que quisessem levantar sua roupa e observar sua vagina.

Resposta

Nesse contexto, o humorista Jonathan Nemer, evangélico, publicou um vídeo de repúdio à classe artística e à TV Globo, criticando a erotização infantil e relativização de valores. “Que vergonha! Isso aí não é arte, não é cultura. Cadê a cultura de botar um peladão junto de uma criança? Isso é uma coisa absurda, doentia. Olha o que está acontecendo no Brasil, é grave!”, afirmou.

“Há 10 anos o divórcio, era uma coisa absurda, hoje está sendo um absurdo esse negócio de criança com arte e pedofilia, mostrando parte íntima do corpo, com desenhos induzindo à pedofilia… Daqui 10 anos isso vai ser ‘normal’, se a gente não fizer algo”, contextualizou.

Para Jonathan Nemer, é preciso boicotar todos os artistas que se posicionarem a favor de manifestações desse calibre: “A gente tem que parar de assistir filmes desses artistas, parar de assistir novelas, seriados desses artistas. Porque não adianta nada você não concordar, mas depois estar lá, chorando, assistindo a uma cena deles”, observou.

“Não vamos nos corromper, não vamos negociar valores, vamos proteger as crianças. Criança não tem autonomia para nada, os pais têm que cuidar, sim!”, acrescentou, lembrando que até a correção dos pais aos filhos atualmente é tratada como tabu. Assista:

As reportagens veiculadas recentemente pelo Fantástico, fazendo apologia à ideologia de gênero e às exposições de arte com erotização infantil e performance nua de um artista masculino para ser tocado por crianças, geraram uma onda de revolta da parte da população nas redes sociais e também manifestações de lideranças evangélicas, que pregaram boicote à Globo.

Dentre os que se manifestaram de forma mais contundente estão o vereador carioca Alexandre Isquierdo (DEM) e os pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano (PSC-SP). Em suas manifestações, todos pontuaram a desonestidade e a parcialidade com que a emissora tem tratado a discussão em torno da arte.

 

De acordo com informações da revista Veja, Isquierdo iniciou uma campanha de boicote à Globo entre seus contatos no WhatsApp: “Um dia sem Rede Globo. Dia 23 de outubro. Pelas crianças e em favor da família!”. O jornalista Gabriel Mascarenhas, responsável pela nota na coluna Radar Online, apostou que “a chance de a campanha pegar é próxima de zero”.

Silas Malafaia foi além, recapitulou a postura da emissora em vilanizar os evangélicos atribuindo às igrejas desta tradição cristã a responsabilidade pela atitude de traficantes em destruir terreiros de religiões afro na Baixada Fluminense, mesmo que isso represente uma contradição na essência.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) também observou que as leis que abordam a proteção da criança vêm sendo ignoradas propositalmente nas matérias que a Globoproduz para tratar dos casos em discussão, e que a revolta gerada por essa postura da emissora não é exclusiva dos evangélicos, mas também de católicos e todo o setor conservador da sociedade.

Malafaia reafirmou que a postura da emissora e de toda a esquerda em relação ao assunto é parte de um projeto muito bem arquitetado, e citou o livro Eros e a Civilização, publicado pelo sociólogo comunista alemão Herbert Marcuse, em que há a franca defesa da erotização infantil como forma de moldar uma sociedade livre do conceito de monogamia.

Desafiando os artistas “covardes” que saíram em defesa das exposições de arte criticadas pelo público conservador – maioria no Brasil -, Malafaia sugeriu que alugassem uma sala na Europa ou Estados Unidos, colocassem um artista nu e levassem crianças para tocá-lo. “Dissimulados, vão todos para a cadeia”, disse.

Profecia

“Essa é a derrocada da Globo. Vocês estão mexendo naquilo que é precioso para Deus, que são as crianças. Eu quando falo as coisas não uso viés religioso, mas estou aqui… a indignação é da sociedade. Vocês estão numa furada. Vocês mexeram com crianças, que têm que ser protegidas. Por isso que há leis”, disse o pastor.

“Meu Deus! Esses caras [da Globo e da esquerda] pensam que podem tudo! Esse império de comunicação. Quero mandar um recado para vocês: acabou o império da comunicação. Hoje tem redes sociais, nós não vamos nos calar. A sociedade está revoltada. Que negócio de ‘um dia não ver a Globo’? Nós temos que apagar a Globo, temos que tirar [o canal da nossa rotina]”, incentivou.

Assista:

Manipulação

O pastor Marco Feliciano produziu um vídeo elencando todas as inconsistências presentes nas reportagens veiculadas pelo Fantástico sobre esses temas, demonstrando em detalhes a “manipulação” de informação para formação de opinião do público.

“A [Globo], através do programa Fantástico, afrontou mais uma vez aquilo que pensa boa parte da população civilizada dessa nossa nação”, afirmou o deputado no vídeo publicado com a hashtag #GloboLixo, que ficou entre os assuntos mais comentados no Twitter ao longo da última segunda-feira, 09 de outubro.

Feliciano salientou que a Globo toma por alienados todos os que discordam de sua agenda, e da forma como desvirtua o debate, tornou-se uma “autêntica fossa séptica moral”, e que a manipulação de mostrar os protestos como “censura” é uma forma de desviar o foco real da indignação popular.

“São tantas as mentiras e as manipulações, inclusive entre as pessoas entrevistadas”, desabafou o pastor. “Eu alerto a todos vocês que pretendem avançar contra as famílias, as crianças e os bons costumes que nós estamos atentos”, afirmou, lembrando que tem a procuração de 400 mil eleitores do estado de São Paulo para combater os ataques à família.

Assista:

0 35

A série Guerra dos Tronos [Game of Thrones, no original] é o maior sucesso do canal HBO em audiência e uma das mais populares do mundo no momento. Baseado em uma série de livros de George R R Martin, chega a sua quarta temporada mostrando a luta dos clãs de Westeros pelo poder.

Recheada de cenas de sexo, com muitas mortes e imagens violentas, o roteiro é cheio de reviravoltas, incluindo alianças políticas, traições e assassinatos. Porém, é aí que reside o problema moral para alguns cristãos. Tanto que alguns pastores e teólogos já se pronunciaram contrários ao show.

A maioria dos críticos lembra que em obras similares como “O Senhor dos Anéis”, de JRR Tolkien, há uma clara batalha onde o bem triunfa sobre o mal. Mas em GOT parece que só existe o mal triunfando.

John Piper disparou suas críticas no artigo “12 Questions to Ask Before You Watch ‘Game of Thrones’”, onde levanta 12 questionamentos que o cristão deveria se fazer antes de assistir Game of Thrones.

Nele, o teólogo pede que cada cristão se questione sobre o pecado de “assistir nudez” e lembra que a morte de Jesus foi para purificar seu povo. Portanto, “se escolhermos apoiar, abraçar, desfrutar ou prosseguir na impureza, equivale a pegarmos uma lança e perfurar o corpo de Jesus novamente toda vez que fazemos isso. Ele sofreu para nos libertar da impureza”, asseverou.

Esse material reascendeu o debate sobre os hábitos televisivos dos seguidores de Cristo. Tempos atrás, a versão americana da revista Cristianismo Hoje dedicou várias páginas na análise dessa questão.

Está gostando desse conteúdo?

Cadastre seu email no campo abaixo para ser o primeiro a receber novas atualizações do site.

Uma das questões mais lembradas pelos pastores ouvidos é que a magia negra desempenha um papel importante na trama, validando um aspecto sobrenatural condenado pelas Escrituras. A maneira como a religião é tratada em Guerra dos Tronos coloca deuses cínicos e sem amor vendo mortais do mesmo modo como gatos observam ratos: algo para se brincar até que morra.

Daniel Muth, da Living Church Foundation afirma que os cristãos não devem assistir ‘Game of Thrones’ pois simplesmente não há nada de positivo ali para homens e mulheres de fé.

O padre jesuíta Jim McDermott, que gosta de analisar a relação de elementos da cultura pop com a teologia lembra que, assim como na Bíblia, a série revela seus heróis entre os menos prováveis da sociedade. Para ele, há aspectos que ecoam as narrativas bíblicas como a busca por redenção e luta para que a esperança vença.

O professor de ética social cristã, Scott R. Paeth, que leciona na Universidade DePaul, em Chicago, diz que somente quando a série de livros (e de TV) terminar poderemos fazer uma análise completa “sobre o mundo e a moral que ele reflete”. Somente então será possível analisar “o quão cristã” é a série.

O autor de livros de ficção Simon Morden, que é um cristão comprometido, afirma que antes de emitir juízo sobre os livros (e a série de TV), os cristãos deveriam primeiramente saber do que se trata.

Depois, emitir opiniões críticas, comparando os valores apresentados com os valores bíblicos. Por fim, deveriam aprender que, dado seu sucesso, o que a sociedade está consumindo, como as pessoas estão vendo o mundo como um “campo de batalha” onde não existem regras definidas.

De muitas maneiras, esta é a realidade do mundo atual, onde questões como guerras e terrorismo estão diariamente na TV e os cristãos acabam expostos a elas. Para Morden, a postura cristã deveria ser de observação, sem se esquecer que nós temos as respostas para muitas das questões levantadas em Game of Thrones.

Fonte: https://cinema.gospelprime.com.br/game-of-thrones-cristao-pecado/

Colunas

0 30
por Maycson Rodrigues Às vezes, é difícil ser humano. Viver sem a certeza do que acontecerá amanhã e caminhar em meio a muitas dúvidas é...