TV Gospel

A marca de cosméticos Avon vem promovendo o documentário Repense o Elogio, em que orienta pais, mães, familiares e amigos em geral a não elogiar meninas como “princesas”. O trailer exibido no canal da empresa no YouTube tem, até agora, 70 mil reprovações, contra apenas três mil curtidas.

Elogiar uma menina como princesa é algo tão intenso na cultura da família brasileira que até o Diante do Trono criou uma canção infantil, chamada Aos Olhos do Pai, se valendo dessa tradição. “Você é linda demais / Perfeita aos olhos do pai / Alguém igual a você não vi jamais / Princesa linda demais / Perfeita aos olhos do pai”, dizem os versões da música cantada em milhões de lares com meninas na fase da infância.

 

A primeira aparição na grande mídia do documentário Repense o Elogio se deu na fatídica reportagem do Fantástico, da TV Globo, em que a ideologia de gênero foi apresentada como “brincadeira de criança”. Na ocasião, a diretora do filme, Estela Renner, criticou quem tem uma filha e a chama de princesa, pois considera uma forma de estabelecer estereótipos.

A Avon é uma empresa de produtos cosméticos populares, e o endosso ao documentário vem sendo reprovado pelos usuários. No entanto, essa não é a primeira vez que a empresa cede à pressão do politicamente correto: em 2012, um grupo de ativistas gays pressionou a marca a remover os livros do pastor Silas Malafaia de seus catálogos de produtos.

Na ocasião, houve inclusive um ponto de tensão entre o pastor Silas Malafaia e os portais cristãos brasileiros, a quem o líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo acusou, à época, de estarem a serviço da militância LGBT. No entanto, o Gospel+ havia apurado junto à Avon e recebido a informação de que os livros de Malafaia haviam sido retirados do catálogo por tempo indeterminado.

Agora, a Avon demonstra que a pressão feita pelos ativistas gays há cinco anos teve resultado, já que a empresa além de ter banido livros de um dos principais formadores de opinião evangélicos de seu catálogo, agora abraça a agenda LGBT da ideologia de gênero, apresentada como um pensamento “progressista”.

[ATUALIZAÇÃO 25/10]

A empresa deletou o primeiro vídeo de seu canal, e publicou outro, com o mesmo conteúdo, como forma de driblar as políticas do YouTube para materiais com reprovação alta do público. No primeiro player, abaixo, é possível notar que o vídeo não está disponível, e no segundo, há a republicação do polêmico trailer do documentário Repense o Elogio:

 

“Aos Olhos do Pai”

0 52

Fernanda Montenegro contra a censura e a difamação

Resposta

Nesse contexto, o humorista Jonathan Nemer, evangélico, publicou um vídeo de repúdio à classe artística e à TV Globo, criticando a erotização infantil e relativização de valores. “Que vergonha! Isso aí não é arte, não é cultura. Cadê a cultura de botar um peladão junto de uma criança? Isso é uma coisa absurda, doentia. Olha o que está acontecendo no Brasil, é grave!”, afirmou.

As reportagens veiculadas recentemente pelo Fantástico, fazendo apologia à ideologia de gênero e às exposições de arte com erotização infantil e performance nua de um artista masculino para ser tocado por crianças, geraram uma onda de revolta da parte da população nas redes sociais e também manifestações de lideranças evangélicas, que pregaram boicote à Globo.

Dentre os que se manifestaram de forma mais contundente estão o vereador carioca Alexandre Isquierdo (DEM) e os pastores Silas Malafaia e Marco Feliciano (PSC-SP). Em suas manifestações, todos pontuaram a desonestidade e a parcialidade com que a emissora tem tratado a discussão em torno da arte.

 

De acordo com informações da revista Veja, Isquierdo iniciou uma campanha de boicote à Globo entre seus contatos no WhatsApp: “Um dia sem Rede Globo. Dia 23 de outubro. Pelas crianças e em favor da família!”. O jornalista Gabriel Mascarenhas, responsável pela nota na coluna Radar Online, apostou que “a chance de a campanha pegar é próxima de zero”.

Silas Malafaia foi além, recapitulou a postura da emissora em vilanizar os evangélicos atribuindo às igrejas desta tradição cristã a responsabilidade pela atitude de traficantes em destruir terreiros de religiões afro na Baixada Fluminense, mesmo que isso represente uma contradição na essência.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) também observou que as leis que abordam a proteção da criança vêm sendo ignoradas propositalmente nas matérias que a Globoproduz para tratar dos casos em discussão, e que a revolta gerada por essa postura da emissora não é exclusiva dos evangélicos, mas também de católicos e todo o setor conservador da sociedade.

Malafaia reafirmou que a postura da emissora e de toda a esquerda em relação ao assunto é parte de um projeto muito bem arquitetado, e citou o livro Eros e a Civilização, publicado pelo sociólogo comunista alemão Herbert Marcuse, em que há a franca defesa da erotização infantil como forma de moldar uma sociedade livre do conceito de monogamia.

Desafiando os artistas “covardes” que saíram em defesa das exposições de arte criticadas pelo público conservador – maioria no Brasil -, Malafaia sugeriu que alugassem uma sala na Europa ou Estados Unidos, colocassem um artista nu e levassem crianças para tocá-lo. “Dissimulados, vão todos para a cadeia”, disse.

Profecia

“Essa é a derrocada da Globo. Vocês estão mexendo naquilo que é precioso para Deus, que são as crianças. Eu quando falo as coisas não uso viés religioso, mas estou aqui… a indignação é da sociedade. Vocês estão numa furada. Vocês mexeram com crianças, que têm que ser protegidas. Por isso que há leis”, disse o pastor.

“Meu Deus! Esses caras [da Globo e da esquerda] pensam que podem tudo! Esse império de comunicação. Quero mandar um recado para vocês: acabou o império da comunicação. Hoje tem redes sociais, nós não vamos nos calar. A sociedade está revoltada. Que negócio de ‘um dia não ver a Globo’? Nós temos que apagar a Globo, temos que tirar [o canal da nossa rotina]”, incentivou.

Assista:

Manipulação

O pastor Marco Feliciano produziu um vídeo elencando todas as inconsistências presentes nas reportagens veiculadas pelo Fantástico sobre esses temas, demonstrando em detalhes a “manipulação” de informação para formação de opinião do público.

“A [Globo], através do programa Fantástico, afrontou mais uma vez aquilo que pensa boa parte da população civilizada dessa nossa nação”, afirmou o deputado no vídeo publicado com a hashtag #GloboLixo, que ficou entre os assuntos mais comentados no Twitter ao longo da última segunda-feira, 09 de outubro.

Feliciano salientou que a Globo toma por alienados todos os que discordam de sua agenda, e da forma como desvirtua o debate, tornou-se uma “autêntica fossa séptica moral”, e que a manipulação de mostrar os protestos como “censura” é uma forma de desviar o foco real da indignação popular.

“São tantas as mentiras e as manipulações, inclusive entre as pessoas entrevistadas”, desabafou o pastor. “Eu alerto a todos vocês que pretendem avançar contra as famílias, as crianças e os bons costumes que nós estamos atentos”, afirmou, lembrando que tem a procuração de 400 mil eleitores do estado de São Paulo para combater os ataques à família.

Assista:

Nesta sexta-feira (06) taxistas de quatro estados estão protestando contra o projeto de lei 569 assinado pelo Senador Acir Gurgacz (PDT), que de acordo com os profissionais irá prejudicar todo o segmento. O protesto está sendo realizado na cidade de Ji-Paraná, Rondônia.

“Esse individuo deu um tiro no próprio pé, porque ele não podia fazer isso que ele fez, mas ele teve a arrogância e a petulância de vir afrontar uma classe que trabalha e produz o pão para o estado de Rondônia! Aqui não tem vagabundo e nem bandido, aqui tem homens que trabalham, somos pessoas íntegras e honestas e temos que mostrar para as autoridades que as coisas lá em cima é que não andam bem”, declara um dos protestantes, se referindo ao senador Gurgacz.

O projeto de lei 569, que já foi aprovado pela Constituição de Justiça do Senado na última semana de setembro consiste em punir os taxistas de todo o país que forem pegos transportando pessoas ou encomendas em trechos intermunicipais. Serão aplicadas punições como perda da carteira de habilitação e apreensão do veículo, além do fato de ter que responder por infração gravíssima.

Até o fechamento desta matéria a manifestação permanecia de forma pacífica.

FONTE: Via Rondônia

 

Colunas

0 30
por Maycson Rodrigues Às vezes, é difícil ser humano. Viver sem a certeza do que acontecerá amanhã e caminhar em meio a muitas dúvidas é...