atherine Varella ganhou destaque mundial em sua primeira participação no Mr. Olympia, principal competição de fisculturismo. Em setembro, ela disputou a competição com 19 atletas e foi campeã na categoria Bikini. O evento foi realizado em Las vegas, Estados Unidos.

Catherine é paulista , mas hoje vive e treina em Maceió. Ela falou com o GloboEsporte.com sobre o feito.

– A sensação é indescritível! Subir aos palcos sempre foi um sonho meu, mas eu jamais pensei que minha estreia seria logo no maior palco do fisiculturismo e ainda sendo campeã da minha categoria. Quando surgiu a oportunidade, eu fiquei com medo, mas resolvi me arriscar. Ao ganhar, comecei a entender o motivo de não ter dado certo antes, eu tinha que estar ali, iniciando da melhor forma e escrevendo a minha história.

Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE
Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE

A campeã ainda disse que sempre foi ligada ao esporte. Ela chegou a fazer dez anos de natação e competir nessa modalidade. Catherine está prestes a se formar em nutrição, mas, segundo a atleta, não deixará a carreira de fisiculturista.

– Esse ano me formo em Nutrição e pretendo atuar na área esportiva e clínica, porém, dando continuidade à empresa e buscando me tornar uma profissional no fisiculturismo com o Pro card, que estou indo disputar agora no Mr. Olympia Brasil.

O Mr. Olympia é o maior evento de fisiculturismo do mundo, e chegará pela primeira vez ao Brasil no dia 20 de outubro, em São Paulo, na Expo Center Norte.

Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE
Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE

Catherine falou ainda sobre o treinamento e dieta necessária para entrar na nova disputa.

– Estou super ansiosa. Estou naquela fase em que a dieta está bem restritiva e com um aporte calórico bem reduzido, além de cardios intensos, porém a felicidade de logo pisar nos palcos novamente do Mr. Olympia, e pela primeira vez em nosso país, me dá forças para continuar e chegar no meu melhor. Estou bem confiante e sei que o resultado será positivo, independentemente de qualquer coisa, pois já consegui evoluir meu físico em apenas quatro semanas de preparação da minha última competição. Mas claro que pretendo manter meu pódio e, se Deus quiser, voltar para casa com o meu Pro Card.

O “Pró Card” oficializa a profissionalização do atleta, ou seja, você só é considerado profissional na área se tiver este cartão. O Mr. Olympia Brasil dará esse “card” aos três finalistas de cada categoria.

Dicas de uma campeã

Dentro da competição do Mr. Olympia, existem várias categorias. Catherine venceu a “Bikini”. Ela explicou o que os jurados exigem das atletas.

– Na categoria Bikini, os árbitros querem um perfil de mulher mais slim, ou seja, sem muito volume muscular, com um perfil atlético, porém sem cortes muito profundos. Conta muito a maneira na qual você expõe seu físico no palco, o desfile, as poses, a delicadeza e suavidade, além, é claro, da sua beleza. Você precisa estar o tempo todo contraindo seus músculos, porém sem que aquilo pareça forçado, tudo precisa fluir de maneira natural. Subimos com um Bikini inteiro de pedras de cristais, com sandálias de salto alto. Primeiro, cada atleta realiza sua apresentação individual, depois acontece o confronto em que os árbitros vão ditando as poses em que você deve ficar para comparar as atletas. As preferidas são mantidas no centro, normalmente é uma categoria com muitas atletas então os confrontos são divididos de cinco em cinco ou de acordo com a preferência numérica dos árbitros.

Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE
Catherine Varella, campeã do Mr. Olympia — Foto: Jeff Binns/NPC NEWS ONLINE

Catherine também contou como começou sua carreira no fisiculturismo.

– Tudo começou há seis anos. Eu já treinava em uma academia de bairro, não gostava, fazia para mudar meu corpo, perder gordura, como a maioria das adolescentes desejam. Percebia que minha orientação era pouca ali e decidi procurar um personal em uma academia melhor. Me indicaram um que era atleta da categoria bodybuilding, quando começamos a treinar juntos fui convidada a assistir um campeonato que ele iria participar em São Paulo, e fui. Ao ver as apresentações, fiquei encantada com a feira, com o palco, com os atletas e toda a energia envolvida. Desde então sabia que um dia eu estaria lá e seria eu naquele palco.

E para quem curte esse esporte e pretende seguir os passos da campeã, ela revelou como é sua rotina e hábitos alimentares.

– É bastante individual e relativo (o treinamento). Cada preparação é uma diferente, assim como devo tomar cuidado com os requisitos cobrados em minha categoria Bikini. Os treinamentos seguem dividido em fases, nas quais a dieta precisa estar alinhada com a fase de treino em que eu me encontro. Se estou priorizando o ganho de massa muscular, a dieta acaba sendo mais flexível e, com um aporte calórico mais alto, os cardios passam a ser de baixa intensidade e o trabalho de musculação mais ativo. Já quando começo a aprofundar os cortes e perder gordura, realizo dois cardios por dia, normalmente um pós primeira refeição e outro pós treino, já a dieta começa a ter uma restrição de carboidratos. Meu treino é basicamente dividido em três grupos musculares, sendo um dia para glúteo, outro para ombros e o terceiro para costas. Panturrilha e abdômen faço em dias alternados no final de cada treino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here